quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Special K

Lembras-te quando passávamos horas ao telemóvel?
Mesmo sem dizer uma palavra, bastava saber que estavas do outro lado. E adormecíamos assim.
Eu sei que não acreditas em mim, por alguma razão que às vezes nem eu consigo compreender, mas fazes-me tanta falta.
Às vezes é difícil ser tua amiga. Quando é preciso um abraço ou uma palavra de amor e tu não és capaz.
Sabes que eu te compreendo. Posso não ser tão inteligente como tu mas consigo compreender-te. Afinal, tenho que ser eu, senão quem te compreenderá?
Mas às vezes custa.
Tenho, claro, que te agradecer por todos os puxões-de-orelhas que me deste e continuas a dar. Que custam, bolas, custam mesmo.
Mas agora tenho um motivo para me levantar de manhã.
Tenho um motivo para não cruzar os braços e desistir.
Tu, claro.
És o motivo de tudo. Tudo o que eu faço é simplesmente para que tenhas orgulho em mim.
E quando leres isto, se leres, vais provavelmente chamar-me louca, como fazes cada vez que eu tento demonstrar que, porra, gosto mesmo de ti.

4 comentários:

Ritz disse...

Eu asseguro-me que ela lê ;)

K disse...

Não sei quem é essa/e K mas é mesmo estúpida... Então a bacana não te dá abraços e palavras carinhosas quando tu precisas??? Otária da merda mesmo!
Bom... Pelo menos faz com que vás à escola... (Já ninguém quer ir à escola)






Epá tu és tão deficiente!!!! Eu não sei dar uma palavra de amor e um abraço??? Eu sou a pessoa mais carinhosa que conheço - e olha que conheço muita gente. Vá fica bem. (é disto que falas?)

Nádia Paiva disse...

Bem, não foi louca, foi deficiente.

E se tu fosses a pessoa mais carinhosa de todas as pessoas que conheces estavamos bem arranjados... x)

Ivan Mota disse...

poderão sovar-me, sim. mas primeiro terão que formar uma fila indiana bem orientada e organizada.

É favor consultar o preçário.
Duração máxima: 5 min.

PS: Se trouxer um amigo paga metade.